Nowdays - O que é Canabidiol, o CBD? Pra que serve? É legal no Br?
Cannabis A a Z
Cannabis A a Z

Seu guia definitivo sobre CBD, o Canabidiol

Hoje no Cannabis de A a Z, vamos tirar todas suas dúvidas sobre o queridinho canabidiol, único componente da maconha que é legalizado pela Anvisa. O que é? Para que serve? Dá brisa? Como funciona? Vem! 
by Michelle, Jun 09, 2021
0 comments.

O CBD está por todo lado, né? Além do hype no mundo inteiro, aqui no Brasil o Canabidiol não faz mais parte das substâncias proibidas pela Anvisa desde 2015, podendo ser importado ou comprado em farmácias, com receita, desde 2020. Mas, muita gente ainda tem dúvidas sobre esse tal CBD, o irmão bonzinho do THC. 

Tá boiando nos termos? consulta nosso dicionário! 

canabidiol CBD

O que é Canabidiol (CBD)? 

O canabidiol é um dos centenas de compostos que podem estar presentes nas plantas do gênero Cannabis, entre canabinóides e terpenos. Além dele, já foram identificados mais de 100 canabinóides ativos na planta. 

Por muito tempo o THC, Tetrahidrocanabinol, foi o canabinóide mais conhecido e estudado da planta, por ser seu principal ativo psicoativo. Mas, o Canabidiol logo foi descoberto e entrou na dança. Hoje, formam a dupla canabinóide com maior presença nas diferentes variedades genéticas da Cannabis, e acumulam efeitos terapêuticos em várias frentes do nosso organismo.

Dá barato, brisa, é chapante?

O canabidiol não dá brisa, não chapa, não é lisérgico. Inclusive, essa é a principal diferença entre o THC e o CBD. O efeito psicoativo é considerado um ‘efeito colateral’ pela ciência e medicina, por alterar os estados da mente. Mas, apesar de não chapar, o Canabidiol também tem ação no nosso cérebro.

Como o CBD funciona?

Apesar do proibicionismo, cientistas estudam a Cannabis há um certo tempo. Inclusive, a descoberta do Sistema Endocanabinóide no nosso organismo só foi possível porque exploravam o THC em laboratório.

Como contamos aqui, a existência do SE é a resposta para a ação e os efeitos da maconha por todo nosso corpo. Temos em nossas células receptores canabinóides, que além de interagirem com os endocanabinóides – sim, temos nossos próprios canabinóides! – e com os fitocanabinóides que vem de plantas, como o Canabidiol e o THC.

O papel do SE é manter nossas funções principais em equilíbrio. Ele está inserido em vários processos como ajustes de humor, sono, apetite, dores, manutenção do sistema imunológico e muitas outras.

Tudo rola em nível microscópico. Várias células espalhadas pelo nosso corpo, não só as do cérebro, têm receptores, que podemos chamar de  fechaduras, que se abrem com a chave química dos canabinóides, sejam eles os produzidos por nosso corpo ou vindos de fora, como o Canabidiol.

Como o CBD interage com receptores variados do sistema endocanabinoide, que está por todas nossas células, os potenciais terapêuticos do CBD formam uma lista longa e otimista. 

Para alguns especialistas, o Canabidiol pode trazer qualidade de vida para quem sofre de transtornos crônicos e questões relacionadas à saúde mental, exatamente por que sua ação é direta no sistema responsável por regular e equilibrar o que está desajustado.

Quer saber mais sobre o Sistema Endocanabinóide? Clica aqui!

Pra que CBD serve? 

canabidiol cbdCom a legalização em diversos cantos do mundo, muitas pesquisas e estudos clínicos vêm sendo feitos para finalmente comprovar os vários benefícios que vêm sendo relacionados ao Canabidiol. Entre seus potenciais reconhecidos estão anticonvulsivante, anti-inflamatório, calmante e neuroprotetor.

O CBD como medicamento foi ganhando atenção da mídia e da sociedade quando se mostrou um poderoso anticonvulsivante. Uma criança que tinha cerca de 80 crises por dia, viu sua qualidade de vida melhorar drasticamente com o canabidiol, que praticamente zerou as convulsões. 

Felizmente avançamos muito e hoje sabemos que o CBD pode ter as seguintes ações:

Anticonvulsivante

A eficácia do Canabidiol para evitar convulsões causadas por epilepsias raras, como as Síndromes de Lennox-Gastaut e de Dravet é comprovada. Foi o pontapé inicial para o reconhecimento da substância como medicamento em diversos países, inclusive no Brasil. 

A melhora na qualidade de vida dos pacientes é gigante e os efeitos colaterais quase não existem em comparação a outros medicamentos anticonvulsivantes. 

A explicação para a boa resposta do canabidiol, segundo pesquisas científicas, é que o controle das convulsões é feito pelo Sistema Endocanabinoide. Sim, ele é a chave pra quase todas as ações do CBD no nosso organismo.

Neuroprotetora

Estudos demonstram que a ação do CBD no sistema endocanabinóide é também neuroprotetora. Por isso, o uso da substância para amenizar os sintomas do mal de Parkinson tem ótimos resultados. A doença é neurodegenerativa e não tem cura. O canabidiol ajuda a controlar os tremores e retardar os sintomas, trazendo maior qualidade de vida ao paciente.

Ansiolítica, calmante

Você já deve ter ouvido falar que um dos efeitos colaterais da maconha pode ser ansiedade e paranóia, né? E é real.  Mas quem pode causar essas sensações dependendo da dose e do indivíduo, é o THC. 

O CBD, por outro lado, pode ajudar a reduzir comportamentos relacionados à ansiedade, como:

  • transtorno de ansiedade generalizada
  • síndrome do Pânico
  • síndrome de Estresse Pós Traumático 
  • transtorno de ansiedade social
  • transtorno obsessivo-compulsivo

Isso porque o Canabidiol pode também se ligar a receptores como o 5-HT1A, que é um receptor de serotonina que influencia o humor. Essa conexão pode ter relação com os efeitos antidepressivos, ansiolíticos e neuroprotetores do CBD. 

Ah, essa ação calmante do CBD também pode auxiliar quem tem problemas com insônia. 

Anti-inflamatória

As propriedades anti-inflamatórias do CBD valem para condições por todo o corpo, como inflamações de pele e musculares.

O CBD pode auxiliar no tratamento de condições de pele como acne, dermatites e psoríase. 

A eficácia no tratamento de dores crônicas e dores causadas por esclerose múltipla, fibromialgia e câncer é maior com Canabidiol do que medicamentos normalmente utilizados, que são famosos por seus fortes efeitos colaterais, como dependência química, no caso da Morfina, por exemplo.

Efeitos colaterais

Os poucos e leves efeitos colaterais do CBD são queda de pressão, tontura, sonolência e boca seca. Também pode ter interações com medicamentos que são metabolizados pelo fígado, dependendo da dose.

Queda de pressão

Doses altas de CBD podem reduzir a pressão arterial e causar uma tonturinha.

Sonolência

Tudo depende da dose, já que o Canabidiol, no geral, te deixa em estado de vigília, ou seja, acordado. Mas, em doses mais altas, o CBD pode dar sono. O que pode tanto ser um efeito colateral, quanto um uso específico pra dormir gostosinho, né?

Antes de iniciar o tratamento com o Canabidiol, fale com seu médico sobre qualquer medicamento que esteja tomando, pra entender possíveis interações. O CBD pode amenizar alguns efeitos de remédios metabolizados pelo fígado.

Tem contraindicação? 

Assim como os efeitos colaterais, as contraindicações ao CBD também são poucas:

Não é recomendado o uso de CBD por gestantes ou mamães em amamentação.

Pessoas com alergia ao Canabidiol também não devem fazer uso da substância. E a questão da interação com medicamentos metabolizados no fígado também merece atenção aqui nas contraindicações! 

Formas de ingestão

Como medicamento, a forma mais comum de ingestão é por meio de tinturas sublinguais do extrato da planta. Mas, são várias as formas de ingestão da substância. 

Nos lugares em que o CBD é legalizado, o mercado de produtos não para de crescer. Tem bebidas, comidas, balas, chicletes, doces no geral, pomadas, cremes, e até supositório de CBD para uso interno para cólicas menstruais! O que muita gente não sabe, é que dá pra fumar flor de maconha com altos níveis de CBD e baixos, quase nulos, de THC.

Falamos mais dessas várias formas de ingestão aqui.

CBD é legal no Brasil? 

Até 2015, ano em que o Canabidiol (CBD) foi finalmente retirado da lista de substâncias proibidas, a Anvisa só concedia autorizações de caráter excepcional para atender pais e mães de crianças com epilepsia que entraram com pedidos de importação. Pouco a pouco, pacientes passaram a tratar outras diversas patologias por meio dessas autorizações excepcionais.

Então, só em dezembro de 2019, a Anvisa regulamentou a pesquisa, fabricação e venda de Canabidiol no país por parte da indústria farmacêutica, com prescrição médica. Agora, o CBD faz parte da lista de substâncias controladas da Anvisa.

A medida passou a valer em 10 de março de 2020, mas as plantas ainda precisam ser importadas. A PL 399 pretende mudar isso. 

Como comprar?

Para comprar o CBD disponível em farmácias, é necessário receita médica. Por enquanto, as opções disponíveis são apenas de Canabidiol isolado, ou seja, com no máximo 0,3% de THC. Também dá pra se cadastrar nas associações que têm autorização para cultivo e produção de medicamentos, como a Abrace e a Apepi.

Outra alternativa é a importação direta, que ficou mais fácil. Até então, o processo levava cerca de 90 dias e envolvia uma série de relatórios e formulários. Agora basta entrar com pedido de autorização para importação, com a receita médica, pelo site da Anvisa.

Mas, porque só o CBD é legal no Brasil?

O proibicionismo fez com que nós, como sociedade, demorassemos muito tempo para reconhecer os efeitos terapêuticos não só do CBD, mas de qualquer derivado da maconha. 

Não tem como negar, as promessas em relação aos benefícios do CBD são muitas. Ao UOL, o pesquisador Francisco Guimarães, professor titular e orientador da pós-graduação em Farmacologia e Saúde Mental da FMRP comemora: “Parece ser bom para quase tudo, é realmente impressionante!”

Mas, só o Canabidiol tem efeitos terapêuticos?

Por que essa demonização do THC? 

A real é que a possibilidade de isolar os componentes da Cannabis em laboratório deu uma solução simples àqueles que se recusam a ver a planta da Cannabis como um todo: ‘se o problema é o efeito psicoativo, vamos tirar ele da cena e ficar só com a parte boa’.

Mas, a ciência já demonstrou que existe uma parada que chama efeito Entourage, que quer dizer que usar todos os ativos presentes na planta é muito mais benéfico do que isolar o CBD somente. A harmonia dos efeitos no corpo humano é maior combinando as substâncias. 

Em várias das condições que descrevemos acima que o CBD pode ajudar, o uso combinado com o THC é mais benéfico ainda. Mas, com todo o estigma em torno da planta, a desconfiança prevalece. 

Imagina, usar como medicamento algo que vem da maconha, equiparada a drogas perigosas como cocaína e crack por anos. É um processo que envolve muito mais que leis serem aprovadas. 

Não é só o Canabidiol que tem efeitos terapêuticos. São mais de 100 canabinóides reconhecidos por enquanto, com efeitos variados, que podem potencializar tratamentos ao invés de se limitar ao Canabidiol isolado, que sim, é medicamento pra diversas condições graves, como epilepsia, mas é mais do que isso.

Ufa!

Ta aí, agora você sabe o básico sobre o CBD. O hype é mais que válido, né? Mas é importante que a Cannabis seja tratada no todo. Não faz sentido avançarmos na pauta medicinal de forma elitista enquanto a mesma planta é o maior motivo de prisões no Brasil.

Se liga, tem mais conteúdo em Basics! Lá cê vai encontrar tudo sobre a nossa amada planta e outros métodos alternativos de Wellness, novidades e questões legislativas.

Se tiver brisando aí, dá uma passeada pela plataforma, fica à vontade. Em Nowdays People tem várias entrevistas maneiras, também! Ah, se ainda não assinou nossa newsletter, a hora é agora!

Comentários

Comentar

more from nowdays

background-basic